quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Consciência



A solidão de 2014. Ano que chega tão convencionalmente quanto os outros anos já passados, que de tantas vezes e tantos contrários do que eu desejara, posso presumir que o amanhã não é o que presumo. E que ter virado a página de uma história que continua aqui dentro de mim, posso ver as sombras das árvores cotidianas nas margens desta mesma página branca, e o leve som da água indo sobre os ribeiros da possibilidade de poder encontrar a alegria pálida que escurece no sossego do mistério de tudo, na rústica região da modernidade cujo império ainda é pouco, e o sonhar já não basta.
Assim, como o sonhar nunca bastou, a estupidez na nossa inexperiência rompe a ação singular com uma juventude unificada, frustre, nas barreiras do coletivo.
Resta-me não me conformar com a púrpura sob o fardo das jóias sociais. Não quero borbulhar com as fraldas que me colam à carne viva, nem unificar-me ao patrimônio provincial no silêncio dos carros modernos que espreitam os Césares da habitação anarquista.
Não sou anarquista, nem partidário de sua ideologia, porém, eu vejo o mesmo azul falso nas grandes cúpulas das cidades, e o verde que erra após as esponjas gigantescas do estio.
A minha liberdade está dentro de mim, e dentro de mim posso fitar o rio, o céu e o infinito. A paz que eu quero não serpenteia no conceito estético que exponho, ela está além das fronteiras da juventude e do cerne extrínseco. Não ponho reveses em minha aldeia, muito menos na obra de minhas mãos; mas convenhamos e venhamos, o que prejudica a expressão da vida está nos objetos que afetam os sentidos do espírito.
Esculpia a matéria de mim, mas não sabia a que lado estava empregando a minha consciência. Não como a Fídia que destrói as folhas da videira, porque esta sabe o que fazer por necessidade de fazê-lo, e não o talhar artisticamente a irrealidade, como fazem os homens.
Não sei quando a solidão aliviará a minha alma e me soltará na espiral de lágrimas calmas, diante de Deus, como uma criança a que seu último desejo é ir dormir...

John L. S.  02/01/2014

7 comentários:

Kaka Stelê disse...

Oi John,concordo com você a liberdade está dentro de nós mesmos,o que sentimos,o que queremos,o que buscamos,e é tão bom poder ver as coisas da forma que a gente quiser *-*
Amei conhecer seu blog e te desejo muito sucesso,também gostei de ver o meu blog ali na sua lista de blogs muito obrigada =)

Um Forte Abraço!
Estrela,Flores...Melancia

Bell disse...

Fiquei muito contente com sua visita no meu blog =)

Solidão é um estado de espírito, vc pode estar cercado por pessoas e se sentir só.
Eu particularmente não gosto de senti-la, pq deixa a gente depre.
Nestes momentos eu dou play e escuto uma boa música para animar a alma e o coração.

Fique com Deus e um ótimo fds =)

Dorli Silva disse...

Oi John,
Como veio cair no meu blog infantil? Talvez saudade da Infância.
Tenho outro blog de adulto Lua Singular.
Nesse eu passo a cada dois dias.
Você escreve como um verdadeiro escritor,às vezes, foge a minha compreensão.
Obrigada pela visita
Beijos
Mundo dos Inocentes

Felisberto Junior disse...

Olá! Boa noite,John
Como vai?
sim...a liberdade está dentro de cada um...liberdade em si ...é entender a sociedade em que se está inserido, seus valores, suas contradições, suas verdades, para transcende-la e não ser submetido a padrões generalizados de certo e errado que não o satisfaz, por isso a nossa liberdade nunca foi tão escrava das nossas ilusões... e dos nossos medos também...
Agradeço pela participação em meu blog, obrigado, Feliz 2014 para vc e familiares, abraços!

Louraini Christmann - Lola disse...

Ano novo!
Vida nova!
(isso não pode ser só conversa).

abraço

Maria disse...

Fui aprendendo que na vida parte depende de nós e é tomar na mão essa responsabilidade e aprender o que fazer com ela que enche os nossos dias de razões para viver outros...Mas a busca...essa continua sempre...faz parte do ser humano...é talvez o seu fascínio maior embora por vezes possa ser dolorosa...Chorar não faz mal...chorar faz bem à alma...liberta-a para novos começos!!!
Vim retribuir a visita, e gostei mesmo muita da sua escrita...vou voltar e ficar a seguir!
Bjs
Maria

Fábio Murilo disse...

Gostei do seu blog John, tem muito a ver comigo. Gosto dessas reflexões, desse olhar sobre o cotidiano. Gosto de pensar o mundo, embora doa, mas é real, o resto e suposição, pretensão de quem acha que tudo pode.

http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 
;