quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Sortilégio



Sagrou-me Deus na ideia o pensamento
Das instruções e os dons de conhecer,
Ao mesmo tempo fez-me compreender
Que estou sozinho desde o nascimento.

Ornou em mim o altar de seu intento
Um régio estranho com o gesto “ser”
E involuntariamente eu pude ver
A luz do gládio dentro do meu tempo.

Um Deus apenas fez o céu e a terra
Com nome, assim deixou ao ser que enterra
E regressou à terra que não há.

Sagrou-me em tudo, e fora do que pensa
Eu nada seja – anônima presença –
Que habita tudo, e em tudo, nada está!

John 02.03.2014
 












1 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Bem amigo deixei as boas festas no outro blog, li alguns poemas muito bons, talvez um dia eu tenha também de mudar. Abraço.
Peregrino E Servo.

Postar um comentário

 
;