segunda-feira, 14 de abril de 2014 1 comentários

Apenas




Volveu a noite o meu passado inteiro
Em choro alegre de poder sentir
A solidão de ser o derradeiro
Na grande indiferença de partir...

Falhei em tudo, e dentro de um meeiro
Colhi num verso crível a seguir
Malditas horas do que eu fui primeiro,
E as horas poucas do que eu pude rir...

Alheio a tudo como alheio ao dia,
Não penso muito em quando o coração
Irá unir-se ao Deus da Poesia.

O mérito do choro chega em vão,
E sempre só na terra... Eu só queria –
O dom de suportar a solidão...

John
 
;